Retro futurismo e cinema - blog nossakaza | kazapronta

Antes de mais nada vamos apresenta-los ao Pedro. O cineasta Paulistano representado pela produtora Iconoclast é também um poço de criatividade, em fevereiro desse ano lançou seu segundo curta metragem e será através dele que vamos explorar seu perfil.

The cosmic dope é um curta magnifico, ele narra a historia de Alan Jones e Eric Bobson, dois cientistas botânicos que se juntam para conduzir um experimento lisérgico com a “cobaia” Nancy e uma espécie de orquídea silvestre desconhecida. Bem-humorado e cheio de estilo próprio o filme é também uma síntese do estilo pessoal de Pedro, que mistura muito da estética dos anos 60/70 com toques modernos.

O resto dessa maluquice você descobre assistindo o filme.

The Cosmic Dope – A Plant Experience (by CLEMENTE) from CLEMENTE on Vimeo.

Podemos dizer que cinema foi e sempre será a grande referencia na vida do Pedro, por isso quando se mudou para esse apartamento buscou decora-lo com elementos que remetessem a esse universo. Ele aproveitou os detalhes vintages do edifício e deu a eles toques modernos, deixando sua casa com um aspecto retro futurista, assim como seus filmes.

 

Mas afinal, o que é o retro futurismo?

“A maneira como o futuro foi visto no passado” – essa seria, talvez, definição mais simples do que é o retro futurismo. Carros voadores, zepelins, armas de raio lazer, cidades flutuantes, transporte de tubos, conquista de planetas alienígenas e submarinos pessoais…

Tudo isso e muitas outras coisas já foram consideradas futuristas, e esse futuro era geralmente localizado no tempo em que vivemos agora. Essas fantasias, imaginações e devaneios tornaram-se tema para muitos artistas, que mostravam como nossos avós costumavam ver um futuro não tão distante. O retro futurismo geralmente mistura tecnologias altamente avançadas (e geralmente longe de serem alcançadas) com as características, a moda e o modo de pensar das décadas anteriores a 1960.

Agora, qual a real importância do retro futurismo? Como vimos, ele constrói seu “caso” sobre ideias futurísticas do passado – do século XIX aos anos 1960, mas muitas vezes tem um toque irônico ou cético: os futuristas eram otimistas, acreditavam que todas essas coisas mágicas aconteceriam, mas por há uma boa dose de nostalgia no gênero, e a principal razão para isso é a insatisfação com o presente, com a forma como o mundo se parece hoje.

Por isso, muitos artistas influenciados pelo tema, tornam-se futuristas da nossa era, extrapolando os problemas atuais para o futuro e mesclando-os com a nostalgia de um passado onde as pessoas tinha esperança. Dessa forma, nos ajudam a refletir sobre o caminho que estamos seguindo como mundo e avaliar nossas escolhas.

Duas tendências

Existem duas tendências no retro futurismo. Uma delas é como o futuro parecia quando era visto do passado, e outra é como o passado parece quando observado do futuro. Mencionamos o primeiro – foi o modo como intelectuais, cientistas, escritores, artistas e diretores na primeira metade do século XX imaginaram o futuro: esses pensamentos foram reconhecidos e receberam uma nota nostálgica de autores (mais) modernos. Em outras palavras, nostalgia pelo futuro que nunca aconteceu.

A outra tendência é praticamente a inversão da primeira. É caracterizada pela mistura de tempos passados, principalmente do século XIX – a era vitoriana – com as tecnologias mais recentes, ou mesmo futuristas.

Esta tendência é altamente popular nas artes, principalmente na literatura e cinema. Abaixo vamos falar sobre 3 de suas vertentes.

Steampunk

O termo que traduzido literalmente para o português significa, punk de fumaça, faz referencia ao século 19 onde tudo ainda funcionava a vapor que foi um símbolo de progresso durante todo o século XIX. Essa coisa punk é um pouco mais difícil, mas, digamos que tenha algo a ver com tempos disruptivos, selvagens e um pouco anárquicos na história, quando o mundo estava mudando rapidamente. Também foi a época de muitas grandes invenções, que levaram o público em geral a conversar e pensar sobre como será o mundo de amanhã.

Então, para resumir, podemos dizer que o steampunk se apropria do mundo digital e coloca-o na era vitoriana.

Histórias alternativas

Histórias alternativas são um gênero muito popular tanto na literatura quanto no cinema atualmente, porque conectam inteligentemente nosso tempo tanto com o passado quanto com o futuro. Algumas das mais famosas histórias alternativas são completamente sombrias e distópicas – na ficção científica, Philip K. Dick era um verdadeiro mestre desse gênero. Seu clássico de leitura obrigatória, “O Homem no Castelo Alto”, fala sobre como o mundo teria sido se os nazistas tivessem vencido na Segunda Guerra Mundial.

Cyberpunks

Se você está procurando uma explicação rápida do que é cyberpunk temos duas palavras para você: Blade Runner. Este filme de 1982 traz quase tudo o que é característico do cyberpunk.

No mundo do cyberpunk, grandes multinacionais governam o mundo, comandando governos (parece familiar?), A classe média está devastada (isso também?), A tecnologia tem um enorme impacto na vida de todos (check), o planeta Terra está poluído e a sociedade foi degradada para um grande grupo de indivíduos, que são separados de outros seres humanos…

Na verdade, o que os autores de cyberpunk fizeram foi caricaturizar as “virtudes” dos anos setenta e oitenta – ganância, consumismo e mercantilismo. É por isso que existem tantos elementos do cyberpunk na sociedade de hoje. Embora possa parecer estranho, até mesmo o cyberpunk é de certa forma nostálgico – enquanto foi criado, era apenas uma possibilidade, uma visão do que poderia vir. Infelizmente, essa possibilidade se tornou realidade, então, o cyberpunk tem a rara característica de estar ao mesmo tempo representando ficção e realidade.

 

 

 



Deixe o seu email e receba inspirações e novidades para a sua casa



Post a Comment